O PORQUINHO QUE ERA BAGUNCEIRO E A MENINA AJEITADINHA



   Um dia, na mansão, havia uma menina que se chamava Carly. Ela estava passeando no jardim quando ouviu um barulho vindo atrás da moita e lá estava um porquinho. A menina viu o porquinho e gritou de nojo. Ela parou o mordomo e aí o poquinho disse:
   -Calma, eu só quero brincar com você.
   A menina desmaiou e, na mesma hora, o mordomo chegou e a viu na grama então, desesperado, falou:
   -Ai, o que que eu faço?A Senhora Teylor vai me matar! O que que eu faço agora? Ah, já sei, vou ligar para o médico Espencer.
   Então os dois conversaram:
   -Olá, aqui é da clínica do Espencer. O que deseja?
   -Oi, médico Espencer.
   -Ah, por favor, tenha respeito, me chame de Senhor Espencer. Dá um jeito nobre a quem estuda três dias Medicina.
   -Está bem, Senhor Espencer, a Carly, filha da minha...
   -Esposa?
   -Não ,da minha chefe, desmaiou.
   -Ah, está bom, já estou indo. Ah, só para saber, onde é?
   -É na mansão Cater.
   -Ah, por que se chama mansão Cater sendo que é da Carly e da Teylor?
   -É que elas juntaram o nome delas e ficou Cater. Mas para de papo, vem para a mansão já!
   O Senhor Espencer chegou, viu o porquinho Lulu bagunçando com a menina e disse feliz:
   -Ela está bem, só levou um susto com o Lulu. É que ele fugiu então vou levá-lo para casa. Vocês poderão visitá-lo quando quiserem. Tchau.
   A menina disse, chateada, porque ele tinha de levar o Lulu:
   -Ah, está bom. E eu vou visitá-lo. Tchau.
   E assim a menina começou ir visitar o porquinho frequentemente. 

Brenda Góes 
24/04/2012

Um comentário:

. disse...

Brendinha, adorei a sua história.
Estou esperando para ler a próxima.
Como será?
Estou curioso.
Abração
Neemias

BRENDA